Cannabis: Conheça a planta da maconha

cannabis

Cannabis – a planta da maconha

Muitas pessoas pensam que a utilização da maconha é algo recente na sociedade, mas a verdade é muito diferente. A utilização da Cannabis, a planta que – entre várias outras coisas – produz a maconha remonta milênios de história humana.

Nem sempre a planta foi proibida e caçada, durante a história, e as discussões sobre legalização e descriminalização da droga e da planta são, na verdade, parte de mais um ciclo de aceitação e rejeição do produto.

Conheça melhor a Cannabis, sua história e as principais curiosidades a respeito desta planta que gera tanta polêmica há tantos milênios ao redor do mundo

Características físicas

A Cannabis possui diversas variações em suas características físicas. A importância e a demanda pelos produtos que ela gera estimularam uma grande seleção das plantas e características, de modo a disponibilizar espécimes de Cannabis capazes de se adaptarem a qualquer demanda.

As espécies que deram origem à popularização das Cannabis foram a Cannabis sativa e a indica, originais da região da Ásia Central.

O principal componente que gera os efeitos geralmente atribuídos à maconha é o tetrahidrocanabinol, o THC, embora haja centenas de compostos que fazem parte da planta. É o THC um dos principais responsáveis pela geração dos conhecidos efeitos psicoativos da droga.

Dependendo da variação a ser cultivada, um pé de Cannabis pode ser mais ou menos alto, e pode ser criado desde estufas dentro de casa, até grandes lavouras ao ar livre. Por gerar uma droga, atualmente, com muita saída, a tecnologia de sua produção é muito desenvolvida.

História da Cannabis

As evidências do cultivo de Cannabis chegam a apontar para mais de dez mil anos atrás, na região de Taiwan, enquanto os registros sobre a prática da inalação da fumaça da erva remontam três mil anos antes de Cristo.

É importante ter a percepção de que a Cannabis nem sempre foi plantada com o objetivo primário de fornecer a erva para fumar. Além de seu efeito psicoativo, era utilizada sua possibilidade de fornecer óleo e uma fibra muito rica.

Repressão à maconha

A primeira repreensão histórica relacionada à maconha ocorreu na caça católica às “bruxas”, na qual mulheres que, entre outras ervas, utilizávamos fins terapêuticos da Cannabis eram consideradas bruxas e acabavam mortas pela inquisição.

O movimento mais recente, que reflete ainda hoje na configuração do cenário de repúdio à Cannabis, foi no início do século XX. Em 1912, na chamada Convenção Internacional do Ópio, que buscava diminuir os danos causados pelo ópio no mundo, a maconha também foi colocada em pauta, iniciando todo um processo de repúdio à droga.

Além disso, o período remonta uma época muito icônica dos Estados Unidos. Durante muito tempo, a maior luta do governo dos EUA foi contra o álcool, que havia sido proibido no país, gerando uma forte organização criminosa conhecida como Máfia dos EUA.

Quando o governo desistiu da luta contra o álcool, liberando-o, percebeu que havia construído toda uma estrutura de repressão a um produto que não possuía mais nenhuma utilidade.

Coincidentemente, após a liberação do álcool e do período de ociosidade desta estrutura, foi lançada a Marihuana Tax Act, que proibia a produção da maconha e iniciou a “guerra” às drogas conhecida até os dias de hoje por todo o mundo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *